15% DE DESCONTO COM CUPOM MADRE15

adoçante dietético

Adoçante dietético: quais os tipos e como usar

Adoçante dietético é um tipo de adoçante que não contém sacarose, frutose ou glicose na sua composição. O adoçante dietético é indicado para pessoas que têm restrição ao consumo de açúcar, como os diabéticos, ou que querem diminuir o consumo de açúcar para emagrecer, por exemplo.

Os adoçantes dietéticos podem ser naturais ou artificiais, nutritivos (fornecem calorias) ou não nutritivos (não fornecem calorias), e têm diferentes poderes adoçantes. Alguns exemplos de adoçantes dietéticos são xilitol, eritritol, adoçante stevia e sucralose. Aprofundaremos tudo isso mais abaixo!

O adoçante dietético pode ser usado para adoçar bebidas, receitas ou alimentos prontos. O uso de adoçante dietético deve ser moderado, pois o uso excessivo pode acarretar efeitos colaterais.

Nesse artigo vamos ver mais detalhes sobre adoçante dietético, quais os tipos de adoçante dietético, quais as vantagens e desvantagens de vários adoçantes dietéticos e como usar adoçante dietético. Vamos, também, discorrer sobre o adoçante dietético em pó e sobre um tema muito procurado na internet: adoçante dietético para que serve. Confira e boa leitura!

Adoçante dietético em pó substitui o açúcar e tem quase zero calorias

adoçante dietético

O adoçante dietético em pó é um produto que substitui o açúcar comum nas receitas e bebidas, sem adicionar muitas calorias ou afetar os níveis de glicose no sangue. O adoçante dietético em pó pode ser usado em proporções iguais ou diferentes do açúcar, dependendo do seu poder adoçante. O adoçante stevia em pó, por exemplo, tem poder adoçante 300 vezes maior que o do açúcar, por esse motivo, é usado em quantidades mínimas.

Alguns adoçantes dietéticos em pó também têm benefícios para a saúde, como prevenir cáries, fornecer fibras e antioxidantes. Em que pesem todas essas vantagens, é importante ter em mente que o adoçante dietético deve ser consumido sem exageros para evitar efeitos colaterais.

Adoçante dietético para que serve

Como já mencionado, o adoçante dietético é um substituto do açúcar. Para detalharmos ainda melhor o item “adoçante dietético para que serve” vale conferir o que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) diz a respeito: “os adoçantes são produtos especificamente formulados para conferir sabor doce a alimentos e bebidas. Os adoçantes dietéticos também conferem doçura, mas sem possuir sacarose na composição, uma vez que são elaborados para atender às necessidades de pessoas com restrição a carboidratos simples (diabéticos)”.

Os adoçantes dietéticos são constituídos por edulcorantes e agentes de corpo. Os edulcorantes são as substâncias químicas responsáveis pelo sabor adocicado e normalmente possuem um poder adoçante muito superior ao da sacarose. É necessária, portanto, uma quantidade menor para obter a mesma doçura. Ainda há a vantagem de ter menos ou nenhuma caloria.

Os edulcorantes são divididos em:

Adoçante dietético

1) Naturais (extraídos de vegetais e frutas)
– esteviosídeo (Stevia)
– sorbitol
– manitol
– sucralose

2) Artificiais (produzidos em laboratório)
– sacarina
– aspartame
– ciclamato
– acesulfame-K

Os adoçantes cuja matéria-prima são edulcorantes, em geral não são absorvidos pelo organismo, ou contêm valor calórico muito reduzido e por isso fazem parte de dietas de redução de peso. Podem ser classificados em nutritivos (fornecem calorias) ou não nutritivos (não fornecem calorias).

Vamos conferir alguns tipos:

Adoçantes dietéticos naturais:

Esteviosídeo (stevia)

  • edulcorante natural extraído da planta Stevia rebaudiamv.
  • poder edulcorante relativo: 180.
  • adoçante nutritivo.
  • estável sob altas temperaturas e em meio ácido.
  • usado como adoçante de mesa, gomas de mascar, balas, bombons, bebidas, gelatinas, pudins, sorvetes, bolos, iogurtes, enfim, por poder ser aquecido, você pode adoçar literalmente tudo com Stevia.
  • se a planta é de excelente qualidade e os processos de extração são artesanais, o adoçante stevia não deixa sabor residual

Sorbitol

  • pertence à categoria dos polialcoóis (forma alcoólica da sacarose).
  • presente em várias frutas.
  • poder edulcorante relativo: 60.
  • adoçante nutritivo: valor calórico equivalente ao da sacarose.
  • associado à frutose.
  • usado como geleias, gomas de mascar, balas e panetones.

Manitol

  • pertence à categoria dos polialcoóis (forma alcoólica da manose).
  • presente em várias frutas.
  • poder edulcorante relativo: 50.
  • adoçante nutritivo: valor calórico equivalente ao da sacarose.
  • usado como gomas de mascar e balas.

Sucralose

  • origem: molécula modificada da sacarose.
  • poder edulcorante relativo: 600.
  • adoçante não nutritivo.
  • não deixa sabor residual.
  • estável sob altas temperaturas, sendo utilizado em preparações destinadas à cocção.
  • usado como adoçante de mesa e em preparações.

Adoçantes dietéticos artificiais

Sacarina

  • substância derivada do petróleo.
  • poder edulcorante relativo: 300.
  • sabor residual amargo em concentrações altas.
  • redução de sabor residual pela mistura de sacarina e ciclamato.
  • adoçante não nutritivo.
  • submetida ao calor, não perde suas propriedades.

Ciclamato

  • substância derivada do petróleo.
  • poder edulcorante: 30.
  • sabor agridoce.
  • proibida a comercialização nos EUA (estudos indicam que a hidrólise do ciclamato, no trato digestivo, pode produzir uma substância carcinogênica).
  • adoçante não nutritivo.
  • estável sob altas temperaturas, sendo utilizado em preparações destinadas à cocção.
  • longa validade e bastante solúvel em água.
  • usado como adoçante de mesa, gomas de mascar, bebidas, congelados, refrigerantes, geleias e sorvetes.

Aspartame

  • origem: combinação dos AA à fenilalanina e ácido aspártico.
  • poder edulcorante: 180.
  • sem sabor residual amargo.
  • acentuado aroma de sabor de frutas ácidas.
  • adoçante nutritivo (fornece calorias): 4 kcal/g.
  • instável sob altas temperaturas, sendo inadequado em preparações destinadas à cocção.
  • usado como adoçante de mesa, misturas, pós, gomas de mascar, balas, sobremesas, bebidas, congelados, refrigerantes, coberturas, xaropes e produtos lácteos.

Confira nesse vídeo mais detalhes sobre as diferenças entre adoçante dietético natural e adoçante dietético artificial.

+LEIA MAIS: Anvisa delibera sobre enquadramento de adoçantes dietéticos e de mesa 

Adoçantes dietéticos: vantagens e desvantagens

Os adoçantes naturais são aqueles extraídos de plantas ou de alimentos de origem animal, como a frutose, o sorbitol, o xilitol, o eritritol e a estévia. Eles costumam ter benefícios para a saúde, como prevenir cáries, fornecer fibras e antioxidantes, regular a pressão arterial e os níveis de açúcar no sangue. Dentre eles, a Stevia costuma ser a mais indicada por especialistas, pois não possui efeitos colaterais (como inchaço, diarreia, e outros). 

Os adoçantes artificiais são aqueles obtidos de produtos naturais ou não, através de reações químicas e processos industriais, como o aspartame, a sacarina, o ciclamato, o acessulfame-K e a sucralose. Eles têm um poder adoçante muito maior do que o açúcar, e por isso são usados em pequenas quantidades. Eles são indicados para diabéticos, pois não elevam a glicose no sangue. No entanto, eles também podem ter efeitos negativos para a saúde, como causar dor de cabeça, enxaqueca, ansiedade, depressão, alterações no paladar, no apetite e na flora intestinal. 

O ideal é consultar um profissional de saúde para orientar a escolha e o consumo adequado de adoçantes dietéticos, e sempre verificar os rótulos dos produtos para saber quais são os ingredientes e as quantidades utilizadas. 

+LEIA MAIS: Xilitol ou Stevia – Qual é Melhor?

qual o melhor adoçante

Qual o melhor adoçante que existe?

A preocupação crescente com uma vida mais saudável tem levado cada vez mais pessoas a abrirem mão do açúcar em sua alimentação. Nesse contexto, os adoçantes ganham papel de destaque como substituto para adoçar bebidas e receitas. Mas, diante de tantas opções diferentes no mercado, uma pergunta se apresenta: qual o melhor adoçante?

Existem vários tipos de adoçantes, que podem ser naturais ou artificiais, em pó, líquido, em pílulas, com ou sem calorias… Cada um tem suas características próprias e podem ser mais ou menos vantajosos, dependendo do objetivo de cada pessoa. Afinal, o uso do adoçante, mais do que uma opção, pode ser uma necessidade para aqueles que não podem consumir açúcar, por causa da diabetes, por exemplo; ou pode ser uma maneira de auxiliar numa dieta de controle de peso. Enfim, não existe uma resposta única que aponte qual o melhor adoçante.

Adoçante natural é melhor que adoçante artificial?

De acordo com alguns especialistas, os adoçantes naturais são mais saudáveis do que os artificiais, pois não contêm substâncias químicas que possam prejudicar o organismo. Considerando isso, no topo da lista de qual o melhor adoçante, estão os adoçantes naturais. Alguns exemplos de adoçantes naturais são: stévia, xilitol, eritritol, taumatina e sorbitol.

Mesmo encabeçando a lista de qual o melhor adoçante, adoçantes naturais também podem ter alguns efeitos colaterais, como causar gases, diarreia e cólicas, por exemplo. Por isso, é sempre recomendado ouvir um especialista para saber qual o melhor adoçante para cada caso. Falaremos mais sobre isso mais adiante. Mas antes, e os adoçantes artificiais?

Adoçante artificial: quais os principais?

Os adoçantes artificiais são normalmente mais baratos, mas apresentam uma lista grande de prováveis efeitos negativos, como alterar o paladar, estimular o apetite, interferir nos hormônios, e até mesmo aumentar o risco de câncer e outras doenças. Além disso, eles podem ter um sabor residual amargo ou metálico. Os principais exemplos de adoçantes artificiais são: aspartame, sucralose, sacarina e ciclamato.

Dentro deste contexto, para saber qual o melhor adoçante para você, o ideal é escolher o que mais se adapta às suas necessidades e preferências, sempre usando com moderação e orientação médica ou nutricional.

Para lhe ajudar a desvendar o universo dos adoçantes, nesse artigo vamos abordar algumas das principais dúvidas relacionadas ao tema, que são: qual o melhor adoçante para diabéticos, qual o melhor adoçante para emagrecer, qual o melhor adoçante para saúde, qual o melhor adoçante natural, qual o melhor adoçante culinário.

Qual o melhor adoçante para diabéticos?

qual o melhor adoçante?

Se a questão principal é saúde, para encontrar qual o melhor adoçante para diabéticos é recomendado procurar entre as opções naturais. A stévia, por exemplo, é um adoçante natural que não contém calorias e não afeta os níveis de açúcar no sangue. Ela é extraída de uma planta chamada Stevia rebaudiana e é cerca de 300 vezes mais doce que o açúcar de mesa. A stévia pode ser encontrada em pó ou em forma líquida e tem alguns prós e contras que as pessoas com diabetes devem considerar. Alguns dos benefícios da estévia são:

  • Ela pode estabilizar os níveis de açúcar no sangue e aumentar a tolerância à glicose.
  • Ela pode reduzir a pressão arterial, o colesterol e a inflamação.
  • Ela pode ter efeitos antioxidantes e anticancerígenos.

Alguns dos contras da estévia são:

  • Ela pode ter um sabor residual um pouco amargo (nem todas tem, inclusive, a Stevia da Color é famosa por não ter nenhum sabor residual. Pode provar para comprovar).
  • Ela pode causar náusea e dor de estômago em algumas pessoas.
  • Ela pode ser um pouco mais cara do que outros substitutos do açúcar, embora, justiça seja feita, ela é 300x mais doce que o açúcar, então por mais que você pague mais, uma coisa é fato: ela rende MUITO.

Segundo pesquisa sobre as propriedades da estévia no tratamento contra o diabetes, o adoçante natural foi capaz de estimular a produção de insulina em testes realizados, mostrando-se efetivo no tratamento. Portanto, a stévia pode ser uma boa opção de adoçante para diabéticos, mas é importante usá-la com moderação e verificar os rótulos dos produtos, pois alguns fabricantes podem adicionar outros açúcares e ingredientes para melhorar seu sabor.

+LEIA MAIS: Melhor adoçante para diabéticos: conheça a opção saudável para o controle da diabetes

Qual o melhor adoçante para emagrecer?

qual o melhor adoçante?

Qual o melhor adoçante para emagrecer está entre as principais dúvidas de quem quer fazer uso desse produto. Alguns adoçantes naturais podem auxiliar na perda de peso, como o xilitol, o eritritol e a própria stévia, sobre a qual já falamos um pouco. Esses adoçantes têm poucas calorias, não elevam a glicose no sangue e podem reduzir o consumo de açúcar. Veja abaixo um resumo dos benefícios de cada um deles, para que você tenha mais informações sobre qual o melhor adoçante para emagrecer:

Adoçante Xilitol

É um álcool de açúcar que tem um sabor doce semelhante ao do açúcar, mas com 40% menos calorias. Ou seja, ele tem calorias! Ele também ajuda a prevenir cáries e infecções bacterianas na boca. O xilitol pode ser encontrado em frutas, vegetais e milho.

Adoçante Eritritol

É outro álcool de açúcar que tem quase zero calorias e não afeta os níveis de insulina. Ele também tem um sabor doce e refrescante, sem deixar um gosto amargo. O eritritol pode ser encontrado em melões, peras e uvas.

Adoçante Stévia

É um extrato de uma planta nativa da América do Sul que tem um poder adoçante até 300 vezes maior que o do açúcar, mas sem calorias. Ela também tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, podendo beneficiar a saúde cardiovascular e a pressão arterial. A stévia pode ser consumida em pó, líquido ou em sachês. Se cultivada e processada de forma artesanal, e se a planta tiver excelente qualidade, não deixa sabor residual amargo.

Esses são os três adoçantes indicados por especialistas, quando a dúvida é qual o melhor adoçante para emagrecer. No entanto, é importante lembrar que o consumo de adoçantes deve ser moderado e associado a uma alimentação equilibrada e a hábitos saudáveis de vida.

Qual o melhor adoçante para saúde?

A resposta para a pergunta ‘qual o melhor adoçante para saúde’ segue o mesmo critério das respostas para as questões ‘qual o melhor adoçante que existe’; ‘qual o melhor adoçante para diabéticos’ e ‘qual o melhor adoçante para emagrecer’. Ou seja, saber qual o melhor adoçante para saúde depende de vários fatores, como a origem, a composição, o poder adoçante, as calorias, os efeitos colaterais, as contraindicações e os objetivos e preferências de quem vai usar.

Mas, de uma forma geral, de acordo com especialistas, como já mencionamos, os melhores produtos para a saúde, são os de origem natural. Esses adoçantes têm segurança estabelecida e costumam conferir dulçor semelhante ao do açúcar, além de apresentarem poucos efeitos colaterais e serem estáveis à temperatura do cozimento.

Também achamos válido reforçar que vale a pena você procurar adoçantes que venham de cultivo sustentável, com produção orgânica e respeito a natureza. Afinal, não adianta muito o adoçante ser saudável para você, porém insalubre para o meio-ambiente e para as pessoas que o produziram, não concorda?

E como última dica para saber o melhor adoçante para a saúde: confira sempre o rótulo, para ter a certeza de que está comprando um produto com pureza, sem mistura de outros elementos.

+LEIA MAIS: Stevia, sacarina, sucralose, aspartame, xilitol: qual é o melhor adoçante para saúde? Médicos respondem

Qual o melhor adoçante natural

Já vimos que os melhores adoçantes são os naturais, mas qual desses adoçantes naturais é o melhor? Na verdade, não existe uma resposta única para qual o melhor adoçante natural. Conforme já mencionado, os adoçantes mais indicados atualmente são os feitos à base de esteviosídeo (stévia) e de sucralose, pois são extraídos de vegetais e frutas, portanto, quase como se você fosse naquele pé de fruta no sítio e o colhesse da árvore: naturais e sem contraindicações.

Para tirar a prova dos nove, também vale a pena, obviamente, você usar o seu paladar. Afinal, o adoçante, além de tudo, precisa satisfazer ao seu gosto!

+LEIA MAIS: Qual o melhor tipo de adoçante?

Qual o melhor adoçante culinário e qual o melhor adoçante para forno e fogão?

Qual melhor adoçante

O adoçante culinário, ou o adoçante forno e fogão tem a mesma função do adoçante tradicional – substituir o açúcar para adoçar bebidas e outros alimentos – com a possibilidade de ser usado em receitas quentes. Mas qual o melhor adoçante culinário? Qual o melhor adoçante para forno e fogão? O melhor adoçante seria aquele que não perde estabilidade ao ser exposto a temperaturas altas, mantendo suas características de sabor e textura.

Assim, a resposta para a pergunta ‘qual o melhor adoçante culinário’ é o adoçante que pode ser utilizado como substituto do açúcar em receitas de bolos, pães, tortas e doces assados ou cozidos, sem prejuízos à receita ou à saúde, como é o caso do adoçante stévia forno e fogão. A textura em pó facilita o cálculo das medidas da receita em colheres ou xícaras.

qual o melhor horário para tomar maca peruana?

Qual o melhor horário para tomar maca peruana?

A maca peruana é uma raiz originária da região dos Andes, que abrange, além do Peru, a Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador e Venezuela. Esse tubérculo possui vários benefícios para a saúde, como aumentar a energia, o controle da glicemia, a prevenção da osteoporose e da anemia, entre outros. Ela é rica em vitaminas, minerais, proteínas, fibras e antioxidantes, e pode ser consumida em cápsulas ou em pó. A maca peruana andina é considerada um superalimento, que nutre o corpo e melhora o bem-estar geral.

Nesse artigo, além de detalhar os inúmeros benefícios que podem ser alcançados com o consumo da maca peruana e explicar um pouco mais sobre essa raiz, vamos também responder a perguntas comuns a respeito da forma de consumo, entre elas: “Qual o melhor horário para tomar maca peruana?”, “Qual o melhor horário para tomar maca peruana em pó” e “Qual o melhor horário para tomar maca peruana em cápsulas”. Confira o conteúdo e boa leitura!

Pela manhã ou à noite? Afinal, qual o melhor horário para tomar maca peruana?

qual o melhor horário para tomar maca peruana?
Maca peruana in natura.

Os benefícios da maca peruana estão, cada vez mais, chamando atenção em todo o mundo e têm gerado a curiosidade entre consumidores e, também, entre pesquisadores. Esses cientistas têm se debruçado sobre essa raiz que se tornou objeto de estudos em diversas universidades de diferentes países.

Esse crescente interesse e a ampla gama de estudos a seu respeito, tornou a maca peruana um alimento muito popular no mercado mundial da saúde e bem-estar. Ainda assim, persistem algumas dúvidas com relação às melhores formas de consumo desse tubérculo, como, por exemplo, saber qual o melhor horário para tomar maca peruana.

De uma forma geral, não existe um horário específico para o consumo da maca peruana. Definir qual o melhor horário para tomar maca peruana vai depender da preferência do consumidor e, eventualmente, do tipo de objetivo que se espera alcançar ao utilizar a raiz. Seja como for, a recomendação de nutricionistas é que a maca seja consumida antes das principais refeições, seja pela manhã, à tarde, ou à noite. E todos os dias, sem exceção.

Algumas pessoas atestam que o melhor horário para tomar maca peruana é pela manhã, pois ela ajuda a garantir mais energia ao longo do dia. Pela nossa convivência com os povos andinos, podemos afirmar que é assim que eles tomam: sempre pela manhã, e todos os dias, inclusive desde que são crianças.

A maca tem um sabor agridoce, então algumas pessoas também afirmam que consumir pela manhã é melhor, pois ela vai muito bem misturada em sucos, iogurtes, cremes, e outros alimentos normalmente consumidos às manhãs.

Por outro lado, há consumidores que garantem que o melhor horário para tomar maca peruana é à noite, justamente porque sentem que ela melhora o sono e ajuda na recuperação muscular. Há ainda os que consideram o melhor horário para tomar maca peruana a hora do almoço, pois ela ajuda a regular o apetite.

Fato é que, como já mencionado, o melhor horário para tomar maca peruana vai depender mais do gosto individual de cada um, porque, na verdade, não há contraindicação nenhuma respeito de horários.

E será que essa liberdade de uso se aplica em todas as formas de apresentação da maca peruana? Ou seja, será que há melhor horário para tomar maca peruana em pó ou melhor horário para tomar  maca peruana em cápsula? E qual a diferença entre elas? Vamos conferir na sequência.

+LEIA MAIS: Maca peruana: alimento e benefícios

Melhor horário para tomar maca peruana em pó

qual o melhor horário para tomar maca peruana

Definir qual o melhor horário para tomar maca peruana em pó segue a mesma regra que define o melhor horário para tomar maca peruana em cápsulas: depende do gosto pessoal.

O que vale destacar é que a maca peruana em pó deve ser ingerida misturada a algum alimento ou bebida. Ou seja, ela é ideal para receitas. A maca peruana em pó tem um sabor agradável, agridoce, e que combina bem com frutas, sucos e iogurtes. Ela também pode ser usada em receitas de massas, pães, bolos e patês. No nosso insta inclusive tem dezenas de receitas com maca peruana.

+LEIA MAIS: Conheça a substituta natural da tribulus terrestres

Qual melhor horário para tomar maca peruana em cápsulas?

A diferença entre a maca peruana em pó e a maca peruana em cápsula é somente a forma de apresentação deste superalimento. A maca peruana em pó é vendida na forma de um pó fino, que pode ser misturado em bebidas e alimentos, enquanto as cápsulas contêm uma dose pré-determinada do maca em pó encapsulada.

Algumas vantagens do pó são a versatilidade, o preço e a personalização da dose. Algumas vantagens das cápsulas são a conveniência, a dosagem precisa e o sabor neutro. E, sobre qual melhor horário para tomar maca peruana em cápsulas, a resposta é a mesma: depende da preferência.

Ambas as formas de maca peruana têm benefícios à saúde e ambas podem ser tomadas em qualquer horário do dia. O produto é literalmente o mesmo.

O importante é que o consumo seja diário, consistente, para que se possa realmente usufruir dos benefícios trazidos pela maca peruana. Em termos da quantidade, há um certo consenso de que tomar entre 1 a no máximo 2 gramas de maca peruana por dia é o ideal. As cápsulas vêm com 500mg, ou seja, duas por dia. Em pó, 1g isso equivale a uma colher de chá (mais ou menos).

Confira abaixo alguns desses benefícios.

Benefícios da maca peruana

Um dos grandes destaques da maca peruana, conforme percebemos pela nossa convivência com povos nativos dos Andes, que a consomem todos os dias de suas vidas, é seu efeito na libido. Impotência sexual por exemplo nós nunca ouvimos falar nas comunidades andinas. Lembrando que essa é uma constatação feita pela nossa rotina por lá, conversando com esses nativos. Há também pesquisas que indicam que o consumo da maca reduz os níveis de estresse ansiedade.

– A maca peruana é rica em fibras e pode ajudar quem deseja emagrecer, porque essas fibras aumentam a saciedade, reduzindo o apetite. Essa característica, aliada a um plano alimentar saudável e atividades físicas, é uma grande aliada na perda de peso. Por ser também um alimento que dá bastante energia, é um excelente alimento para quem deseja pegar firme nos treinos. Veja como tomar maca peruana para emagrecer.

– Ajuda a prevenir a osteoporose, pois é rica em cálcio.

– Pode prevenir o diabetes, pois diminui a velocidade da absorção de glicose pelo corpo (também graças ao alto teor de fibras) e inibe a ação de uma enzima que atua no processo de digestão. Isso evita a liberação de grandes quantidades de insulina, o que poderia levar à resistência celular à substância, favorecendo o diabetes.  

– Rica em ômega 3 e ômega 9, a maca peruana protege a saúde cardiovascular graças a seu efeito vasodilatador e regulador do colesterol.

– Um dos efeitos muito buscados pela ação da maca peruana é a redução dos efeitos da menopausa. Sobre isso, o que podemos falar é apenas com base na nossa convivência com as mulheres andinas, que consomem macas todos os dias: elas afirmam não conhecer os sintomas da menopausa.

Xilitol ou Stevia: qual é o melhor adoçante?

É cada vez maior o número de pessoas que se preocupam em ter uma alimentação mais saudável. Nesse cenário, em que controlar o peso também é uma preocupação, o açúcar tradicional tem perdido espaço para os adoçantes. Mas diante da gama enorme de adoçantes no mercado, como escolher o melhor?

Nesse artigo, vamos trazer muitas informações sobre dois adoçantes naturais: xilitol e stevia. E, ao longo do texto, vamos responder uma pergunta muito comum: xilitol ou stevia qual o melhor adoçante?

Além disso, vamos ver, também, tópicos com vários esclarecimentos a respeito do uso do xilitol ou stevia:

    • Xilitol ou stevia: o que preciso saber para escolher bem?

    • Xilitol ou stevia para diabéticos?

    • Xilitol ou stevia low carb

    • Xilitol ou stevia: vantagens de cada um

    • Afinal, xilitol ou stevia qual é o melhor?

    • Adoçante xilitol ou stevia: receitas saborosas e saudáveis

Xilitol ou stevia: o que preciso saber para escolher bem?

Como já mencionamos, tanto o xilitol quanto a stevia são adoçantes naturais. Mas quais as diferenças entre eles? O que preciso saber para escolher entre xilitol ou stevia?

A stevia:

Xilitol ou stevia –stevia é um adoçante natural que é extraído das folhas da planta Stevia rebaudiana bertoni, originária do Paraguai. Ela tem sido usada há séculos pelos povos indígenas para adoçar bebidas e alimentos.

Xilitol ou stevia – A stevia tem um poder de adoçar cerca de 300 vezes maior do que o açúcar comum, com a vantagem adicional de ter zero calorias. Por isso, ela é uma opção para quem quer reduzir o consumo de açúcar e controlar o peso.

Xilitol ou stevia – A stevia também tem benefícios para a saúde, pois não eleva os níveis de glicose no sangue, podendo ser usada por pessoas com diabetes. Além disso, ela tem propriedades antibacterianas, que podem prevenir as cáries dentárias e as infecções no ouvido.

Xilitol ou stevia – A stevia também é resistente a altas e baixas temperaturas, podendo ser usada em receitas que vão ao forno ou à geladeira.

Xilitol ou stevia – A stevia pode ser encontrada em diferentes formas, como stevia em pó, granulada ou líquida. Ela pode ser usada para adoçar qualquer alimento ou bebida que se deseje, como café, chá, sucos, bolos e gelatinas.

O xilitol:

Xilitol ou stevia – Oxilitol é encontrado em pequenas quantidades em algumas frutas e vegetais, como ameixa, morango, couve-flor e abóbora.

Xilitol ou stevia – O xilitol tem um sabor doce, levemente mentolado, sem sabor residual. Ele tem o mesmo poder de adoçar do açúcar comum, mas com 40% menos calorias que o açúcar (aqui está portanto uma desvantagem fundamental em relação a Stevia, que tem zero calorias e é 300x mais doce que o açúcar).

Xilitol ou stevia – O xilitol também pode ser usado em qualquer alimento ou bebida para adoçar.

Xilitol ou stevia low carb

Muitas pessoas são adeptas de dietas com redução de carboidrato e ficam em dúvida se devem usar xilitol ou stevia low carb.

A stevia é um adoçante natural que pode ser usado na dieta low carb, pois tem zero calorias e não é metabolizada pelo organismo. Ela pode ser usada para adoçar bebidas, como café e chá, ou para fazer receitas de bolos, tortas, pudins e outras sobremesas low carb.

Como tem um poder adoçante 300 vezes maior que o do açúcar, a stevia é utilizada em quantidades mínimas para adoçar as receitas.

Oxilitol também pode ser usado na dieta low carb, pois tem menos calorias e carboidratos do que o açúcar comum. Uma colher de chá de xilitol tem 2,4 calorias, enquanto uma colher de chá de açúcar tem 4 calorias. Já a de stevia tem 0 calorias.

Ele pode substituir o açúcar na mesma proporção na receita. Por exemplo, se uma receita pede uma xícara de açúcar, você pode usar uma xícara de xilitol.

Xilitol ou stevia para diabéticos

Xilitol ou stevia para diabéticos? Essa também é uma pergunta bastante comum. Tanto o xilitol quanto a stevia para diabéticos podem ser usados e ambos oferecem benefícios para a saúde.

Como já dito, ambos são extraídos de fontes vegetais e têm um sabor doce e agradável, mas existem algumas diferenças entre eles que podem influenciar na escolha de qual usar.

Xilitol ou stevia para diabéticos? Essa também é uma pergunta bastante comum. Tanto o xilitol quanto a stevia para diabéticos podem ser usados e ambos oferecem benefícios para a saúde.

Como já dito, ambos são extraídos de fontes vegetais e têm um sabor doce e agradável, mas existem algumas diferenças entre eles que podem influenciar na escolha de qual usar.

O xilitol é um álcool de açúcar que é encontrado em frutas e vegetais, como já mencionado, mas também pode ser produzido a partir da casca de bétula ou da espiga de milho. Ele é uma boa opção de adoçante para diabéticos porque não eleva os níveis de glicose no sangue, assim como a Stevia.

A stevia é usada há séculos para adoçar chás e medicamentos. A stevia é muito mais doce do que o açúcar, cerca de 200 a 300 vezes mais, mas não tem calorias nem carboidratos. Por isso, ela também não afeta os níveis de glicose no sangue e é uma ótima opção para o uso de diabéticos.

A stevia também tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que podem proteger as células do estresse oxidativo e prevenir doenças crônicas. Alguns estudos sugerem que a stevia pode ter um efeito hipoglicemiante natural, que estimula a secreção de insulina pelas células beta do pâncreas e regula os níveis de glicose no sangue.

A escolha entre xilitol ou stevia para diabéticos vai depender das preferências pessoais e das necessidades de cada um. O mais recomendável é consultar um médico ou nutricionista antes de fazer qualquer mudança na dieta.

Afinal, xilitol ou stevia qual é o melhor?

Qualquer que seja a escolha do adoçante – xilitol ou stevia – é importante que ele atenda ao seu gosto de paladar. E, ainda mais importante, sempre opte por marcas confiáveis, que garantem qualidade e de fato produtos naturais, afinal, a grande vantagem tanto do xilitol quanto da stevia é que são adoçantes naturais.

Se você procura mais poder de adoçante com zero calorias, então com certeza a escolha ideal é a Stevia, pelos motivos que listamos mais acima.

Xilitol ou stevia: vantagens de cada um

Ao longo do artigo, você viu uma série de informações sobre adoçantes naturais que vão lhe ajudar na hora de escolher xilitol ou stevia. Agora, vamos reiterar algumas das vantagens desses adoçantes naturais, começando pelo adoçante stevia:

    • A stevia tem zero calorias e não é metabolizada pelo organismo, podendo ser usada por pessoas que querem reduzir o consumo de açúcar ou que têm diabetes

    • A stevia tem um poder de adoçar 200 a 300 vezes mais do que o açúcar comum, o que significa que é preciso usar uma quantidade muito pequena para obter o mesmo sabor adoçante (ela rende muito, portanto)

    • A stevia pode ajudar a regular o apetite e a reduzir a fome, pois ela estimula os receptores do sabor doce no estômago e no intestino, aumentando a secreção de hormônios que regulam a saciedade

    • A stevia pode ter um efeito hipoglicemiante natural, que reduz os níveis de glicose no sangue e estimula a secreção de insulina pelas células beta do pâncreas, podendo ser benéfica para pessoas com diabetes tipo 2

    • A stevia tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, que podem proteger as células do estresse oxidativo e prevenir doenças crônicas, como problemas cardiovasculares

    • A stevia é estável em altas temperaturas, podendo ser usada em alimentos e bebidas quentes ou frias, ou em receitas de bolos e tortas que vão ao forno, sem alterar o seu sabor ou as suas propriedades

    • A stevia é boa para a saúde bucal, pois ela não causa cáries e pode até inibir o crescimento de bactérias na boca, prevenindo a formação de placa dental

+VEJA MAIS: Adoçante stevia 100% natural: 6 benefícios

Agora vamos ver algumas vantagens do xilitol:

    • Tem menos calorias do que o açúcar, porém tem mais calorias do que a Stevia

    • Tem baixo índice glicêmico: o xilitol não eleva muito os níveis de açúcar no sangue, sendo uma boa opção para pessoas com diabetes 2

    • Prevenir cáries: o xilitol inibe o crescimento de bactérias que causam as cáries

    • Prevenir infecções respiratórias e de ouvido: o xilitol combate outras bactérias que vivem na boca e no ouvido

Adoçante xilitol ou stevia: receitas saborosas e saudáveis

Agora é o momento de escolher o adoçante xilitol ou stevia para suas receitas. Confira algumas sugestões:

    • Sobremesa diet gelada de morango: uma sobremesa fácil e rápida de fazer, que leva apenas gelatina diet, creme de leite e água. Você pode escolher o sabor da gelatina que preferir e decorar como quiser.

    • Calda de caramelo diet: uma calda deliciosa que pode ser usada em outras sobremesas, pipocas ou como preferir. Você só precisa de adoçante stevia, água e vinagre branco para fazer essa receita.

    • Geleia de morango: uma geleia caseira e natural, feita com morangos frescos, suco de limão e adoçante stevia. Você pode usar essa geleia em torradas, bolos, iogurtes ou como quiser.

    • Bolo de cenoura com xilitol: Um bolo fofinho e saboroso feito com farinha de arroz, óleo de coco, cenoura e xilitol. A cobertura é de chocolate amargo com cacau em pó 100%. Uma delícia para quem quer comer um doce sem culpa.

    • Pudim low carb com leite condensado low carb caseiro: Um pudim cremoso e fácil de fazer com creme de leite, leite condensado low carb feito com xilitol e farinha de amêndoa, ovos, baunilha e xilitol. A calda é de xilitol caramelizado. Uma sobremesa que vai surpreender a todos.

Lembrando que você pode ter acesso gratuito a centenas de receitas no Insta da Color Andina!

Adoçante engorda?

É verdade que Adoçante engorda?

A pergunta “adoçante engorda ou emagrece?” pode parecer estranha à primeira vista, uma vez que o adoçante é um produto que substitui o açúcar e é largamente utilizado, justamente, por quem quer emagrecer. Mas, por incrível que pareça, a resposta não é tão simples ou óbvia.

Saber se um adoçante engorda ou não vai depender do tipo de adoçante, da quantidade consumida e dos hábitos alimentares de cada pessoa. Nesse artigo, além de ver de maneira detalhada se o adoçante engorda, você vai ver também outros tópicos que suscitam dúvidas com relação ao uso do adoçante, como:

– Adoçante engorda mais que açúcar

– Adoçante engorda ou não

– Café com Adoçante engorda

– Caipirinha com Adoçante engorda

– Limonada com Adoçante engorda

Afinal, adoçante engorda ou não?

Adoçante engorda?

Para responder à pergunta “adoçante engorda ou não?’, é preciso considerar alguns aspectos. Existem vários tipos de adoçantes, como aspartame, sucralose, adoçante stevia, xilitol, entre outros. Cada um tem suas características. Alguns são naturais, outros são artificiais. Alguns são mais doces que o açúcar, outros têm um sabor residual amargo.

De modo geral, os adoçantes não têm calorias ou têm muito poucas e não contribuem para o ganho de peso. No entanto, eles podem ter efeitos indiretos sobre o metabolismo e o apetite. Esses efeitos podem interferir no acúmulo de gordura.

Um desses efeitos é a alteração do paladar e da percepção do sabor doce. Ao consumir alimentos e bebidas muito doces, o cérebro se acostuma com esse estímulo e passa a desejar mais doce. Isso pode levar a um aumento da ingestão calórica.

Outro efeito é a alteração da resposta hormonal à glicose. Alguns estudos mostram que os adoçantes artificiais podem afetar a liberação de insulina e outros hormônios que regulam o metabolismo da glicose. Isso pode causar uma queda da glicemia, uma maior absorção de açúcar pelas células e uma maior tendência ao estoque de gordura.

Além disso, os adoçantes artificiais podem alterar a microbiota intestinal. As bactérias que habitam o intestino têm um papel importante na digestão, na produção de vitaminas e na defesa do organismo. Algumas pesquisas indicam que os adoçantes artificiais podem reduzir a diversidade e a quantidade de bactérias benéficas e aumentar as bactérias nocivas, causando inflamação, obesidade e resistência à insulina.

+Leia mais: Adoçante: o exagero engorda?

Adoçante engorda mais que açúcar?

Muitas pessoas que querem emagrecer ou controlar o diabetes optam pelo uso do adoçante, mas será que o adoçante engorda mais que açúcar, como alguns estudos sugerem? A resposta, novamente, não é simples, pois depende do tipo de açúcar, do tipo de adoçante, da quantidade consumida e dos hábitos alimentares de cada pessoa. 

Assim como existem vários tipos de adoçantes, também existem vários tipos de açúcar no mercado, cada um com suas características, vantagens e desvantagens. O açúcar é um produto derivado da cana-de-açúcar ou da beterraba. O açúcar branco que as pessoas mais consomem é o produto refinado, ou seja, é aquele que é o mais processado de todos. Por ser extremamente processado, todos os nutrientes da cana-de-açúcar ou da beterraba são removidos, sobrando apenas um pó branco com muitas calorias e sem nenhum valor nutritivo.

Há variedades de açúcar que são menos prejudiciais à saúde do que o açúcar refinado. Exemplos incluem o mel, o melaço, o açúcar mascavo, o açúcar de coco, o xarope de bordo  e o néctar de agave. No entanto, eles também são fontes de calorias.

O adoçante substitui o açúcar em bebidas e alimentos, com a vantagem de ter menos calorias ou nenhuma caloria e não afetar os níveis de glicose no sangue. Existem dois tipos principais de adoçantes: os naturais e os artificiais.

Os adoçantes naturais são extraídos de plantas ou frutas, como a stevia, o xilitol e o eritritol. Eles têm um sabor semelhante ao do açúcar e apresentam alguns benefícios para a saúde, como prevenir cáries dentárias e reduzir a pressão arterial. No entanto, o uso também deve ser equilibrado, pois o exagero pode causar diarreia, gases e inchaço abdominal.

Os adoçantes artificiais são produzidos quimicamente em laboratório, como o aspartame, a sacarina, a sucralose e o ciclamato. Eles têm grande poder adoçante e não contêm calorias. No entanto, eles podem causar problemas de saúde, alterar o paladar, estimular o apetite por doces, afetar a liberação de insulina e hormônios, alterar a microbiota intestinal e alguns estudos indicam, inclusive, que podem aumentar o risco de câncer .

Portanto, com relação à dúvida – se adoçante engorda mais que açúcar – o que se pode dizer é que ambos devem ser usados com moderação e, ao escolher o adoçante, prefira um produto natural, como o adoçante stevia, por exemplo.

+LEIA MAIS: Substituir açúcar por adoçante ajuda a emagrecer mesmo?

Café com Adoçante engorda?

Adoçante stevia

Outra pergunta comum entre quem quer perder peso é se café com adoçante engorda. De modo geral, o café com adoçante não engorda, pois o adoçante é um produto que não contém calorias ou tem um valor calórico muito baixo, como já mencionamos. Além disso, o café é uma bebida que tem efeito termogênico, ou seja, acelera o metabolismo e favorece a queima de gordura. No entanto, isso não significa que o café com adoçante seja uma bebida milagrosa para emagrecer e, assim como de resto, deve ser consumido com moderação e dentro de uma dieta equilibrada.

Confira algumas dicas para consumir café com adoçante de maneira a não prejudicar a dieta:

  • Café com adoçante engorda? Não, desde que você escolha um adoçante de boa qualidade e que não seja prejudicial à saúde. Alguns adoçantes artificiais, como o aspartame e a sacarina, podem causar efeitos colaterais como dor de cabeça, alergia, alteração do paladar e até mesmo câncer. Os produtos naturais, como o Adoçante stevia e o xilitol, são mais seguros e têm benefícios adicionais, como regular o açúcar no sangue e prevenir cáries.
  • Café com adoçante engorda? Não, desde que você não exagere na quantidade de adoçante. Mesmo que o adoçante não tenha calorias, ele pode estimular o apetite e a vontade de comer doces, pois ativa os receptores de sabor doce na língua.
  • Café com adoçante engorda? Não, desde que você evite consumir café com adoçante à noite ou próximo ao horário de dormir. O café é uma bebida estimulante que pode atrapalhar o sono e causar insônia. A falta de sono pode prejudicar o metabolismo e favorecer o acúmulo de gordura.
  • Café com adoçante engorda? Não, desde que você não misture outras substâncias no café com adoçante, como leite, creme, chantilly, chocolate ou álcool.
  • Café com adoçante engorda? Não, desde que você beba bastante água ao longo do dia para hidratar o corpo e eliminar as toxinas. O café é diurético e pode causar desidratação se não for acompanhado de uma boa ingestão de água.

Portanto, a resposta para a pergunta “café com adoçante engorda” é “não”, desde que seja consumido com moderação. É importante, lembrar, também, que alguns tipos de adoçantes se degradam com o cozimento, outros, como o adoçante stevia forno e fogão são ideais para uso na culinária.

Caipirinha com adoçante engorda?

A caipirinha normalmente é feita com cachaça, limão, açúcar e gelo. É uma bebida saborosa, mas também pode ser uma fonte de calorias. Mas e se for feita sem açúcar? Será que caipirinha com adoçante engorda? Segundo os nutricionistas, a quantidade de calorias da caipirinha está relacionada principalmente ao teor alcoólico da cachaça, que é de cerca de 40%. 

A cachaça fornece cerca de 240 calorias por 100 mL. O açúcar adiciona cerca de 100 calorias por colher de sopa. Portanto, uma caipirinha com cachaça, limão, açúcar e gelo pode ter mais que 500 calorias por 200 mL. Se usar adoçante, a quantidade de calorias diminui, portanto, a caipirinha com adoçante engorda menos do que a caipirinha com açúcar.

+Leia mais: Stevia em pó é bom?

Limonada com Adoçante engorda?

Adoçante engorda?

A limonada é uma bebida saudável, rica em vitamina C. Muitas pessoas que querem emagrecer ou controlar o açúcar no sangue optam por substituir o açúcar por adoçante na hora de preparar a limonada. Mas será que a limonada com adoçante engorda?

A limonada com adoçante não é necessariamente uma bebida que engorda. O limão tem poucas calorias e adoçar a bebida com um adoçante natural ajuda a mantê-la como uma opção light. Há especialistas que afirmam, inclusive, que a limonada ajuda a emagrecer.

ADOÇANTE 100% NATURAL

Qual é o mais saudável e quais os benefícios do adoçante natural stévia?

O consumo de açúcar é alto no Brasil, segundo a Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018: Análise do Consumo Alimentar Pessoal no Brasil do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O estudo aponta que 85,4% da população afirma usar açúcar para adoçar bebidas e comidas, sendo mais comum entre jovens e menos comum entre mulheres com 60 anos ou mais.

E você, faz parte do grupo de pessoas que consomem açúcar em diversas refeições? Se sim, saiba que a lista de malefícios é extensa já que a ingestão pode estar associada ao risco de obesidade, diabetes, pressão alta, cárie e até diminuição da memória.

Uma alternativa para uma vida mais saudável e com muito sabor é o adoçante natural, que pode ser stévia, xilitol, frutose, entre outros. Neste artigo, você terá mais informações sobre o adoçante natural stévia, que é extraído de uma planta chamada Stevia Rebaudiana Bertoni originária da América do Sul.

Continue a leitura para ter as respostas para as seguintes dúvidas:

  • O que é e quais são os benefícios do adoçante natural stévia
  • Qual o melhor e qual é o mais saudável adoçante natural stévia
  • Como substituir o açúcar por adoçante natural
  • Onde encontrar as melhores opções de adoçante natural
  • Como tomar e quais os benefícios

O que é e quais os benefícios do adoçante natural stévia?

Extraído da planta Stevia Rebaudiana Bertoni, a stevia é um adoçante natural com substância 300 vezes mais doce que o açúcar. Sendo assim, já é muito conhecido por ser um produto mais saudável para substituir o uso do açúcar em sucos, chás, bolos e outras receitas.

Veja quais são os principais benefícios do consumo desse adoçante natural:

Regula o apetite

O adoçante natural stévia tem o benefício de contribuir com a sensação de saciedade e auxiliar na redução da fome.

Perda de peso

O adoçante natural stévia tem pouca quantidade de calorias, sendo um grande amigo na dieta de quem busca diminuir o número na balança.

Redução dos níveis de açúcar

O adoçante natural stévia pode ser um substituto do açúcar, contribuindo para a diminuição dos índices.

Uso em receitas que precisam de alta temperatura

O adoçante natural se mantém estável em temperaturas de até 200ºC e, por isso, pode ser usado em receitas de alimentos cozidos ou assados.

São muitas vantagens em optar pela stévia. E aí? Quais os benefícios que mais te surpreendeu?

Qual o melhor e o qual é o mais saudável adoçante natural?

Color andina adoçante natural

O comportamento do brasileiro em relação à alimentação mudou para melhor ao longo dos últimos anos. É o que confirma um levantamento de 2017 da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), feito com três mil pessoas acima dos 16 anos. O estudo aponta que 80% dos brasileiros buscam uma alimentação mais saudável.

Entretanto, quando se fala em adoçante natural é necessário levar alguns aspectos em consideração para uma substituição adequada. Isso significa que é importante saber se o produto é considerado sem glúten, sem frutose, sem lactose, sem açúcar e com baixo índice glicêmico para tomar a decisão de qual o melhor adoçante natural.

O produto que atende todos os aspectos listados anteriormente é o adoçante natural stévia da Color Andina, por isso, quando perguntam qual é o mais saudável, recomendamos ele. Além disso, possui o diferencial de não ter o sabor amargo. Entenda o motivo da substância ser amarga em algumas versões e o diferencial do adoçante natural da Color Andina:

  • O adoçante natural stévia é extraído da folha da planta Stevia Rebaudiana Bertoni.
  • A folha da planta possui um intenso sabor doce e agradável, que é 300 vezes mais doce que o açúcar.
  • Por ser uma planta, ao ser consumida in natura pode ter um amargor no paladar.
  • O amargor da planta é por causa da clorofila, que é a substância que oferece a pigmentação verde para algas, vegetais, frutas e plantas.
  • Com o objetivo de melhorar a experiência do cliente, a Color Andina faz a retirada da clorofila em um processo ancestral para fabricação do produto.

Técnica ancestral: adoçante natural stévia sem amargor

Stevia fresca

É hora de dizer “adeus” para adoçantes naturais stévia que possuem amargor e dificultam a substituição do açúcar, porque a Color Andina conta com uma técnica ancestral que começa com a secagem das folhas de Stevia Rebaudiana Bertoni ao sol ou natural.

Após secar, a planta é moída e levada para um processo de lavagem e decantação com o objetivo de extrair apenas o doce da folha e retirar a clorofila. A técnica é desenvolvida pelos povos andinos e toda a produção da Color Andina conta com tradicionais famílias bolivianas cooperadas que moram a quatro mil metros de altitude na Bolívia.

O resultado de todo o processo é um adoçante natural stévia em pó mais saudável e livre de amargor. E o melhor: continua adoçando 300 vezes mais do que o açúcar convencional.

Para quem é indicado?

O adoçante natural stévia da Color Andina é indicado para pessoas que possuem alguma restrição ao uso do açúcar, diabéticos e pré-diabéticos ou que precisam emagrecer. Mas lembre-se: consulte o médico ou nutricionista para ter a recomendação do profissional.

Como usar o adoçante natural stévia?

O adoçante natural stévia da Color Andina é concentrado e adoça 300 vezes mais que o açúcar. Isso significa que é necessário utilizar as mini-pazinhas presentes na embalagem para auxiliar na dosagem da medida ideal. Além disso, pode ser usado em receitas, como: bolos, cookies, brigadeiros, sucos, pão, sorvetes, entre outros.

Quais são as embalagens do adoçante natural?

O adoçante natural stévia da Color Andina é encontrado na forma de pó em embalagens de 20 gramas ou 40 gramas, que podem ser adquiridas individualmente ou em kits com dois ou três potes.

Conheça a Color Andina

Color Andina colaboradores

A Color Andina é uma empresa familiar de brasileiros que tinham o sonho de trabalhar com produtos 100% naturais. O desejo transformou-se em realidade com a produção do adoçante natural, maca andina e outros rótulos sem aditivos ou conservantes.

Outro aspecto fundamental para o sucesso da marca é o cultivo das plantas no alto da Cordilheira da Bolívia, local que possui cerca de quatro mil metros de altitude e é feito por duas comunidades e 33 famílias bolivianas nativas da Cordilheira dos Andes. O objetivo é manter costumes e hábitos de seus ancestrais com preservação da natureza além da garantia de sustentabilidade e da qualidade de vida do povo andino.

Além do adoçante natural stévia, o portfólio da marca possui achocolatados, chia, condimentos, farinha, maca em cápsula, maca em pó, massas de macarrão de quinoa, microalgas e quinoa.

Como substituir o açúcar por adoçante natural stévia?

Bolo de chocolate

Como substituir o açúcar pode ser um desafio. Mas se um dos impedimentos para você fazer trocar o açúcar pelo adoçante natural stévia é o amargor, os seus problemas foram resolvidos pela Color Andina. Afinal, a marca usa técnicas ancestrais no processo de fabricação que resulta em um produto livre do amargo.

Assim como o açúcar, o adoçante natural pode ser usado em diversas receitas, bebidas e alimentos, como:

  • Bolos;
  • Cookies;
  • Sucos;
  • Café;
  • Pão;
  • Chá;
  • Sorvete;
  • Panquecas;
  • Entre outros.

Como tomar e qual a quantidade diária de adoçante natural?

Muitas pessoas têm dúvidas sobre como tomar o produto. O adoçante natural stévia pode ser usado no lugar do açúcar no preparo de diversas bebidas e comidas, como bolos, sorvete, chá etc. Confira duas receitas que leva o produto nos ingredientes:

  • Pamonha fit de forno: você vai precisar de 1,5 kilo de milho triturado; 250 gramas de creme de leite fresco; 250 ml de leite da sua preferência; 4 ovos; 1,5 colher de sopa de manteiga; 75 gramas de queijo parmesão; sal a gosto e 1 colher de chá de adoçante natural stevia da Color Andina. Ficou com água na boa? Clique aqui para acessar a receita completa.
  • Bolo de chocolate com calda: para fazer a massa, você vai precisar de 2 ovos; 1/2 xícara de farinha de coco; 1/4 xícara de farinha de amêndoas e linhaça; 4 mini-pazinhas de adoçante natural stevia da Color Andina; 1/4 de xícara de Achocolatado Zero Açúcar Color Andina Foods; canela a gosto; 200 ml de leite de coco; duas colheres de manteiga sem sal derretida; e uma colher pequena de fermento. Que tal testar em casa? Clique aqui para acessar a lista de ingredientes e o modo de preparo.

Em relação à quantidade diária, o valor varia de acordo com o fabricante do adoçante natural stévia. O produto da Color Andina é concentrado e as embalagens possuem mini-pazinhas que ajudam a inserir a medida ideal na sua rotina.

Onde encontrar as melhores opções de adoçante natural?

O adoçante natural stévia é pode ser encontrado em lojas de produtos naturais e a compra deve envolver alguns critérios, como: procedência no processo de fabricação, grau de pureza e amargor. Olhando esses critérios você encontrará as melhores opções.

Por exemplo, o adoçante natural stévia da Color Andina é:

  • 100% natural;
  • Dietético;
  • Sem sabor residual amargo;
  • Baixo índice glicêmico;
  • Zero açúcares;
  • Alto teor adoçante;
  • Estável em até 200ºC.

Além disso, a produção é feita por famílias tradicionais da Bolívia que vivem na Cordilheira dos Antes e usam processos ancestrais para oferecer o melhor produto para os consumidores. O adoçante natural, que é em pó, pode ser encontrado em embalagens com 20 gramas ou 40 gramas.

Se você deseja adquirir o adoçante natural stévia da Color Andina, pode acessar a página do produto neste link. Mas se você deseja mais informações sobre o produto, entre em contato com a equipe de vendas no WhatsApp.

Processo de decantação Stevia

Como funciona exatamente o processo de decantação para retirar o sabor amargo da Stevia Color Andina Foods? ?

É um processo artesanal longo, trabalhoso e que rende pouco, mas esse é o segredo! Dê play e veja todos os detalhes dessa lavagem que as famílias parceiras indígenas da Bolívia realizam!


Trecho retirado da live realizada no canal da @culinaria_lowcarb.

pamonha de milho com stevia zero acucar color andina foods

Pamonha fit de forno

Vamos fazer uma pamonha fit de forno?

Segue essa receita da @japafit_:
? 1,5 kg de milho triturado
? 250 g de creme de leite fresco
? 250 ml de leite da sua preferência
? 4 ovos
? 1,5 colher de sopa de manteiga
? 75 g de queijo parmesão
? Sal a gosto
? 1 colher de chá Stevia Color Andina Foods

Modo de preparo

1️  Despeje a massa de milho num bowl
2️  Coloque todo o creme de leite fresco numa panela e leve ao fogo até fritar. O ponto é quando sair umas borrinhas marrons do fundo
3️  Derrame o creme frito na massa e misture
4️  Acrescente o restante dos ingredientes e misture bem
5️  Asse no forno pré-aquecido a 200 graus por 1 hora e 10 min aproximadamente. Quando dourar em cima, desligue.

Pronto! Nesse friozinho é tudo de bom uma pamonha, ainda mais zero açúcar. ?
Faça em casa e depois conte pra gente como ficou! ?

Bolo de chocolate com calda

Que tal essa receita de bolo de chocolate diferente e muito gostoso feita pela @professoraviajante? ?

Segue o passo a passo! ?

? MASSA:
? 2 Ovos
? 1/2 xícara de Farinha de coco
? 1/4 xícara de Farinha de Amêndoas e Linhaça
? 1/4 de Xilitol (ou 4 mini-pás de Stevia Color Andina Foods)
? 1/4 de xícara de Achocolatado Zero Açúcar Color Andina Foods
? Canela a gosto
? 200ml de leite de coco
? Duas colheres de manteiga sem sal derretida
? Uma colher pequena de fermento

Levar ao forno a 180 graus por 40 a 45 minutos!

?CALDA:

? Refogar metade de uma caixa de morangos picados com uma colher de xilitol
? Acrescentar 1/2 xícara de leite de coco com uma colher de creme de ricota
? Uma colher cheia de Achocolatado Zero Açúcar Color Andina Foods

sorvete de maca peruana

Sorvete com Maca Peruana

Ingredientes

280g de biomassa de banana verde; 1 colher (sopa) de cacau em pó; 2 colheres (sopa) de mel; 20 g de gema (aprox. 1 gema); adoçante dietético natural @colorandinafood; 120 ml de leite (semi-desnatado, desnatado ou leite vegetal); 1 colher ( de chá) de Maca Peruana @colorandinafood.

Modo de fazer:

1 – Faça um creme: Em uma tigela ou na batedeira, bata as gemas com o adoçante dietético natura; até dobrar de volume e reserve;
2 – Em uma panela, coloque o leite e leve à fervura. Quando começar a ferver, retire do fogo e verta devagar sobre as gemas, mexendo-as de forma constante e vigorosa;
3 – Volte a mistura para a panela sobre fogo baixo e mexa até começar a engrossar;
4 – Transfira o creme para um recipiente, cubra-o com filme plástico em contato e reserve na geladeira por 4 horas;
5 – Em um liquidificador, coloque a biomassa de banana verde, o cacau, a Maca Peruana e o mel. Bata até a mistura ficar homogênea. Se for preciso, adicione um pouco de água quente apenas para facilitar a mistura;
6 – Misture o purê de banana com o creme para fazer o sorvete
7 – Bata bem o creme com o purê de banana no liquidificador. Coloque no congelador por aproximadamente 3 horas. Retire do congelador e bata novamente essa mistura, até ficar homogênea. Volte o sorvete ao congelador e espere algumas horas até a textura estabilizar no ponto de sorvete.
8 – Retire o sorvete do congelador alguns minutos antes de servir.

Desfrute de sabores, nutrientes poderosos para uma alimentação de qualidade!
Quando testar sua receita, divulgue com a #receitascolorandina para outras pessoas também participarem dessa experiência gastronômica deliciosa!

×

Atenção

O e-mail inserido já está vinculado a uma conta existente. Para finalizar o pedido utilizando esse e-mail, acesse sua conta clicando no botão abaixo.

[]